}

8 de novembro de 2011

Eu.

Tumblr_lpunutcvmy1qgg1sho1_500_large




Não me deixe escapar das suas mãos, sou movida por pequenos caprichos. Uma vez caída, demoro a me reerguer. Mesmo que queira fluir todo amor escondido e quase perdido que exista dentro de você sobre mim, lembre-se, também tenho um coração. E ele é (muito) de carne. Aquele meu sorriso pode ser uma saída de um abismo sem fim e nele não a fundo, apenas recordações que levam seu nome. Não quero seguir o mesmo caminho. Deixe-me comigo. Sozinha. Só. Eu.





Curta o blog no Facebook:  Página do Epifania