}

3 de novembro de 2011

Falando do Caio F. de Abreu.


E quem não conhece o Caio? O conheci por acaso e não me arrependo do envolvimento intenso que tivemos. Ele me surpreendia a cada linha e me deixava encabulada em cada verso. Um verdadeiro poeta doce e sem medo. Para minha vergonha, li apenas uma de suas obras “Os Dragões não conhecem o Paraíso, contos.” Porém, pretendo lê-lo loucamente durante minhas férias. Ele me mostrou um lado intimista masculino que nenhum outro autor já teria feito, pelo menos no Brasil. E se tiver, por favor, me digam nos comentários. Sua escrita é angustiante e ao mesmo tempo me enraiada felicidade. O que sinto? Realmente não sei. “Apontado como um dos expoentes de sua geração, a obra de Caio Fernando Abreu, escrita num estilo econômico e bem pessoal, fala de sexo, de medo, de morte e, principalmente, de angustiante solidão. Apresenta uma visão dramática do mundo moderno e é considerado um "fotógrafo da fragmentação contemporânea".” – wikipedia.  


"Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado. Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem. E nisso, sim, acredito até o fim. O destino da felicidade, me foi traçado no berço". Caio Fernando de Abreu.

Blogspot do Caio Fernando de Abreu: http://caio-fernando-abreu.blogspot.com/

"Tô me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Tô me aproximando de tudo que me faz completo, me faz feliz e que me quer bem. Tô aproveitando tudo de bom que essa nossa vida tem. Tô me dedicando de verdade pra agradar um outro alguém. Tô trazendo pra perto de mim quem eu gosto e quem gosta de mim também. Ultimamente eu só tô querendo ver o bom que todo mundo tem. Relaxa, respira, se irritar é bom pra quem? Supera, suporta, entenda: isento de problemas eu não conheço ninguém. Queira viver, viver melhor, viver sorrindo e até os cem. Tô feliz, tô despreocupado, com a vida eu tô de bem."

Que seja doce, Caio! E, então? O que é o Caio para você?