}

26 de janeiro de 2012

Certa vez, encontrei uma princesa, e ela me contou alguns segredos.

16732966_large


Certa vez, encontrei uma princesa, e ela me contou alguns segredos. Mas antes de confessar o que ela me confessou, eu quero dizer que naquele dia o meu coração doía como ferida. Estava sentado na beira da estrada tentando esquecer o que me fazia sofrer, era como uma vida se perdendo em lágrimas doídas. Desejava saber o motivo da sua ida (sem despedidas) que me deixou assim: em plena agonia -  lamentações daquele amor que imaginei ser eterno. Talvez fosse difícil pra você ter um amor para toda vida e que os sonhos fossem apenas sonhados por mim, mas a verdade é que mesmo em sonhos podemos imaginar a pessoa que amamos do nosso lado, mesmo que quando acordemos estejamos sozinhos. Um dia chegamos à realidade.

É ruim fechar os olhos e pensar em como ainda preciso de você, eras como a luz do meio-dia: Escaldante e indispensável. Eu preciso de você agora e você não precisa agora de mim. Nem cartas nem perfumes do seu corpo me deixou. Um coração aflito que sussurra pela saudade, sussurra pelo seu nome a cada segundo e o que me resta? Ainda não sei. Quero que o tempo leve aquilo que me dói, mas não quero que leve aquilo que me tem. O seu sorriso está guardado como um tesouro a sete chaves. Se quiseres ouvir meu coração não precisa por seu ouvido sobre meu peito, é preciso tocar apenas na minha mão e sentirás a necessidade que tenho de te tocar. Sentiras uma mão trêmula, mas com forças para te prender e não mais largar.

Você é... Você foi aquilo que me foi de bom. Seu olhar me despertava para um mundo que só regia a nós – sentia a necessidade de não deixá-la livre de mim. Se o meu pecado fora o desejo de te prender a mim, me perdoe. Eu pensei que o desejo era compartilhado. Estou conseguindo aos poucos me desprender... Talvez consiga até me levantar. A princesa chegou? Não tinha ouvido a carruagem quando a princesa me tocou no ombro. Como não pude notar a princesa que me deixou e agora retornou? Como eu disse, ela me contou alguns segredos. Ela sentou-se do meu lado e sussurrou: Eu não fiquei livre de você. Foi um dos seus segredos, os outros são mistérios que apenas meu coração conseguiu desvendar. [...]

Certa vez, encontrei uma princesa, e seu olhar desvendava em mim um mundo que só existia nós dois. A verdade era: A saudade não tinha a deixado ir, como a saudade não me fez esquecer-se dela. A verdade é: Ainda existia saudade. Ainda existia aquele amor.