}

29 de abril de 2012

Cartas não enviadas - 01

Tumblr_lzt9vl7n3e1r68qv2o1_500_large

Meu amado,
Ao ler sua carta tive a imensa vontade de abraçá-lo. Acredito que abraçar você será uma das coisas que mais farei quando revê-lo. Provar que estás comigo. Não apenas um abraço, mas também sussurrar no seu ouvido e dizer o quanto te amo, o quanto quero ser sua. Suspiro. Falta muito para nos reencontrarmos? Você partiu e ainda te vejo aqui. Parece uma sentença perpétua, uma necessidade sem cura. Ouvir a sua voz absorve todos os meus medos e me faz sorrir de amor. Não quero mais pensar nos obstáculos que nos cercam, eles são nada perante a força do nosso amor, mas quero pensar exclusivamente na beleza do teu sorriso. Acredito que ele combine com o meu. Não sei o que aconteceu comigo, mas você mudou todo o meu rumo. Agora é só você, só você, só você, só você... Algo tão presente, tão intenso. 

Numa despedida, sinto sua falta. Numa noite mal dormida, é por ti que sinto falta. Pela primeira vez as palavras fugiram para descrever o quão doce é este sentimento. Talvez, seja uma regra não conseguir definir bem o que sentimos, pelo menos quando se trata de amor. Tão lindo e triste. Só nosso amor. Só eu e você.

Eu não sei no que você está pensando nesse exato momento ou no que deve estar fazendo, mas acredite: Há alguém que está perdidamente apaixonada por você. O bonito, meu amado, é o sentir. Estou na base disse desde o dia em que te conheci. A força da sua presença é tão forte que tira meu fôlego, minha concentração. Minha mente agora só tem o seu espaço, não o infinito de um espaço ou de uma galáxia, mas o seu espaço. Um que nunca terá fim. Cheguei no estágio da dependência cômica. Não tem mais volta. Não tem mais cura. Quero acordar com o seu beijo, admirar você dormindo. Quero ser a sua mulher. Me entregar de corpo e alma – mistérios virgens que só você conhecerá. Um pacto só entre nós dois. O amor não é tão simples, mas conosco ele amadurece e se torna doce. Mais doce do que o próprio Caio poderia descrever, você gosta tanto dele, não é?

Estou colocando a minha mão direita sobre a carta e prometendo ser apenas sua. Acredite, essa carta não chegará ao fim agora. As palavras continuam em disparadas no meu coração, querem ser escritas e gritadas em direção a você. Porém, algumas delas, só podem ser sussurradas na ponta do seu ouvido. Te aguardo para dizê-las.

Com amor,
sua.



Ps: Nova tag do blog, o que acharam?